Meu diário de bordo

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Sem prioridades


Ando passando longe das vontades,
Declarando guerra às conversas;
Assumindo pequenas maldades
Longe do foco que observas.

Não deixo registro e viro a mesa;
Derramo os versos pelo chão,
Descarto sem muita certeza
A prioridade do meu coração.

Repenso os recados rabiscados,
Quebro o porta retrato fumê;
Seus olhos ali envenenados
Falam de outras coisas, não de você.

Aprisionei os desejos num livro,
Entre uma e outra confissão;
Enquanto das lembranças me livro
Até recobrar novamente a razão.

Um comentário:

Nydia Bonetti disse...

Também ando nesta fase de "descarte", Angélica. Mas com muito critério. Desta vez, com a razão unida ao coração. :)

Lindo, teu poema. beijo!