Meu diário de bordo

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Trilhas

Atrás da retina; lembranças.
Nos lábios o gosto úmido do beijo,
Ilusão desvanecida
Bem guardada.

Preciosa jóia brilha
Só para meus olhos
Sem ontem,
Tão pouco amanhã.

Os passos vão lépidos
E a estrada encurtando;
Na mochila da memória
Cochilam sonhos
Tão meus e de mais ninguém.

3 comentários:

IVANCEZAR disse...

Importante que sejam privados os sonhos
Aliás, sonhos deveriam ter cofres sem chaves
Bjs sulinos !

Clóvis Campêlo disse...

O que seria de nós se não fossem os sonhos?
Mas, bom mesmo é quando eles se transformam em coisas palpáveis.
Não existe pecado no sul e nem no norte do equador.
Bjs nordestinos!

Angélica T. Almstadter disse...

Obrigada meninos! Beijos paulistas procêis, heheh