Meu diário de bordo

terça-feira, 23 de junho de 2009

espasmos emocionais















concepção artística
Angélica
mãos atadas,
pensamentos livres
um clique duplo na palavra
e surgem picos, estatísticas
e ecos sem sentido.
morreu um pouco da intenção
no descarte de sentimentos
anunciados ou não.
vazio...
no peito bate um silêncio descompassado
recheado de angústia;
poética prosa
revira no estômago enauseado.
poema febril estremece o corpo
em espasmos emocionais...
vazio...
falta o ar, pressão no peito,
rimas entalam nas artérias
a vida se esvazia
no enfarte das palavras.

Um comentário:

Nydia Bonetti disse...

Que bonito, Angélica. É verdade, morre sempre um pouco da intenção... Às vezes morre toda a intenção, e o poema se faz, independente do que pretendíamos. Mas sempre, no compasso do coração...
beijo.