Meu diário de bordo

domingo, 11 de janeiro de 2009

menino anjo

angélica t. almstadter

o anjo dorme sem asas
não é mais tão puro
um dia ele foi azul
foi doce e sereno

o anjo aprendeu mentir
chora mais que sorri
tem os pezinhos sujos
o olhar distante
suas pequenas mãozinhas
se esfregam aflitas
...conhece agora o medo
a tristeza de sentir-se humano

2 comentários:

nydia bonetti disse...

Angélica
Difícil ser humano, sentir medo e tristeza e ao mesmo tempo ser divino. Pesado fardo sobre ombros tão frágeis...
Bjs.
Nydia

samuca santos disse...

anjo, não resisto:
diante de textos como este e "alter ego" dá vontade de gritar no meu blog. eu quis dizer postar...
deixa, vai!?