Meu diário de bordo

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Entre um dia e uma Noite
Angélica T. Almstadter

Dei-te horas inteiras, e me devolveste minutos apenas...
Dei-te meus sorrisos fartos, e com semblantes fechados, me presenteaste...
Por que me deste dosados carinhos, se em torvelinhos me doei ?
Olho para o relógio das lembranças, ficou parado há tanto tempo...que já nem me lembro mais...talvez em algum dia quando ainda me querias...
Falta-me tempo para recompor as peças desse quebra-cabeças que somos nós, fragmentos espalhados que mal consigo encontrar...tão poucos e se espaçaram tanto ...
Tenho vivos em mim, espetados na carne, os estilhaços das conversas atravessadas...das dúvidas, nunca explicadas...Incomodando tenho as separações com ásperas palavras...olhares não trocados, porque desviastes para outras direções, enquanto eu tentei outras sugestões...
Engraçado que, embora tenha na boca um gosto amargo, e saudades de ter de ti lembranças...estou em paz...
Olho a chuva pela vidraça...e deitada nessa cama tão vazia de ti, sinto um misto de alívio e frio...abraço meu corpo e acarinho meus cabelos como antes nunca tivera feito, não, não dessa forma sensata, sabendo exatamente o que quero...fecho os olhos e deixo a mente vagar...
Há dias que sei que vou me rasgar, teu fantasma vai me rondar, nesses dias sei que vou regar a solidão dos meus ponteiros com lágrimas quentes...mas juro, que jamais saberás...porque entre um dia e uma noite hei de morrer e renascer tantas vezes quanto carecer...

2 comentários:

Eliana Mara disse...

Oi, Angélica.
Passei aqui para conhecer seu blog e te dizer que talvez você tenha entendido mal meus comentários ao poema da Lilian. Comentei porque gostei do poema e acho que com mínimas alterações ele pode ficar melhor. E disse, no meu comentário, que se ela discordasse, eu entenderia.
Se eu não tivesse gostado do poema, nem teria me dado ao trabalho de comentar.
Espero que você entenda.
Gosto de paz entre as pessoas que escrevem, mas gosto de podermos trocar idéias sobre o que escrevemos, para melhorar mesmo.
Isso faz com que a gente melhore nossa criação.

Um abraço

Eliana Mara disse...

Angélica,

noite sem sono...

Vim procurando mais rabiscos...

Beijos